13.8.12

A que te fazia feliz

Essa noite eu vi o futuro, e no futuro você era feliz.
Eu não estava perto, aliás toda essa distância -além do tempo- te impedia de me ver.
Mas você estava feliz, nada te impedia, pelo contrário... Eu vi você rir com as piadas dela, sorrir quando ela chegava em casa, deitar ela no seu colo e mexer nos seus cabelos, e isso tudo me aterrorizava.
Mas alguma coisa ruim aconteceu, e ela a que te fazia feliz, simplesmente desapareceu. Nenhum sentimento previsível de felicidade me tomou, e como num filme eu só queria saber a próxima cena. Um cemitério, gramado e enorme, árvores distantes, estranhamente me parecia familiar, como se fosse casa. Você estava de preto, não era incomum pois você gosta de roupas escuras, mas naquela situação sim, um funeral, talvez o dela, a que te fazia feliz. Você desviou o caminho que todos seguiam e foi em direção à uma das lápides, as flores que você estava segurando deixou delicadamente na grama, murmurou algumas palavras, impediu algumas lágrimas de caírem e quando se levantou, pude ver meu nome. Não houve desespero ao ver que em baixo lapidaram "saudades", mas houve um aperto e esse aperto me fez acordar. Temi a verdade e só queria te ter ao meu lado, mas a verdade é que você preferia estar ao lado dela, a que te fazia feliz.

8.8.12

Talvez eu te ligue

Um dia desses talvez eu te ligue, pra dizer que estou me maquiando mais, e minhas unhas estão sempre feitas, não choro tanto quanto antes, e a fronha do meu travesseiro anda cheia de embalagens de chocolate. Talvez a gente marque de se encontrar e eu te apresento meus novos amigos, te provo que minhas notas estão melhores, sei lá. Um dia desses talvez eu te ligue.