21.4.12

Meu príncipe encantado

"Acho que ele deveria ser louro, forte e alto. Corajoso e enfrentar tudo e todos para ficar comigo. Criativo e me surpreender batendo na minha janela no meio da noite. Companheiro e estar comigo até nos piores momentos. Fiel e ter olhos só para mim. Compreensivo e entender minhas mudanças de humor. Ser a metade perfeita em mim." Como nos contos de fadas.
Mas meu príncipe encantado é outro, ele erra e pede desculpas, nem sempre esperou por mim ou imaginou finais felizes. Ele já viveu outros amores e talvez sinta falta deles, ele nem sempre ri quando eu rio ou chora quando eu choro. E eu não cobro a presença dele em todos os momentos mais felizes ou tristes da minha vida. Porque ele deveria me ligar, mas não liga e isso só aumenta a vontade de ouvir sua voz. Ele me deixou sozinha quando eu tive medo e isso só me fez amadurecer.
Eu te esperei, olhando a janela no meio da noite, e durante a aula de geografia, em que se torna tão fácil se distrair. Imaginei e te descrevi.

20.4.12

Então eu escrevo...

Nunca me dei bem com as palavras. Sou daquelas que só pensa em algo realmente significativo quando a pessoa já se foi; daquelas que reimagina o dia inteiro antes de dormir e sorri; daquelas que fecha os olhos torcendo para encontrar seu amor num mundo paralelo, ilusório; daquelas que viaja na música e despercebida abre uma brecha para seus sonhos, e lembranças; daquelas que se arrependeu por ter chorado e comido chocolate pensando que a errada era eu; daquelas que já sofreu de amor impossível; daquelas que não sabe  expressar tudo que sente e desabafa, pega folha, pega caneta e rabisca, desenha só não apaga, pois pra ela nesse momento não há mais erros, não há ninguém para julgar ou criticar, nem dar conselhos inúteis...
Então eu escrevo, para expressar o que sinto, para passar o tempo, para não esquecer o que eu pensei ou o que os outros pensaram e naquele momento era o que eu pensava também.
A culpa não é minha, eu sou assim, nunca me dei bem com as palavras.